Rede voluntária coordenada pelo SENAI conserta mais de 2 mil respiradores

Iniciativa tem a participação de 28 instituições e empresas e reparou equipamentos usados no tratamento de doentes graves da Covid-19 em 336 municípios de 24 estados e no DF. Ventiladores podem ter ajudado a cuidar de 20 mil vidas


A solidariedade de mais de 700 voluntários de rede coordenada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) fez a diferença na vida de milhares pessoas em todo o Brasil. Desde que a pandemia do novo coronavírus atingiu o país, 2.007 ventiladores pulmonares foram consertados gratuitamente e devolvidos a instituições de saúde em 336 municípios de 24 estados e no Distrito Federal. A estimativa é cada equipamento possa salvar até dez vidas durante seu prazo de utilização. 


Os aparelhos, importantes no tratamento de doentes graves da Covid-19, estavam sem uso e foram restaurados graças à união de 28 instituições e empresas. Desde 30 de março, quando a Iniciativa + Manutenção de Respiradores passou a trabalhar foram recebidos 3.989 respiradores, dos quais 951 estão em manutenção e 173 passam por calibração, última etapa antes da devolução ao serviço de saúde. A maioria dos equipamentos restaurados precisava de novas peças para voltar a operar.


Parceria envolveu grandes empresas, governo e entidades industriais

A iniciativa conta com a participação de unidades do SENAI e dos seguintes parceiros: ArcelorMittalBMW GroupEstúdios GloboFiat Chrysler Automóveis (FCA), FordGeneral Motors, Honda, HyundaiInstituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Instituto VotorantimMercedes-Benz do BrasilMoto HondaPetrobrasPoli-USPJaguar Land Rover, Renault, Scania, ToyotaTrollerUsiminasValeVolkswagen do Brasi e Volvo do Brasil, com o apoio do Ministério da Saúde, do Ministério da Economia, do Ministério da Defesa, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da Associação Brasileira de Engenharia Clínica (ABEClin).


Além do SENAI, investiram mais de R$ 4 milhões em aquisição de peças para viabilizar o reparo dos equipamentos a Petrobras, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Votorantim e a aliança Todos pela Saúde, que conta com recursos do banco Itaú, entre outros doadores.


“Estamos vivendo um ponto de inflexão na história da humanidade e vamos extrair muitas lições.  O SENAI se sente muito honrado da parceria construída nesta iniciativa, exemplo de ação cidadã que mobiliza indivíduos, empresas e organizações em prol do bem comum, da afirmação de um projeto de país que nasce no valor à vida”, afirma o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi. 


SENAI usou expertise para ampliar produção de ventiladores e apoiar outras soluções inovadoras contra a Covid-19


O  SENAI também possui a Iniciativa + Respiradores para ampliar a oferta do número de ventiladores pulmonares por meio da produção nacional. A ação apoia sete empresas que já possuem a capacidade de fabricar mais de 5 mil respiradores por mês. Dois projetos, por exemplo, foram desenvolvidos em tempo recorde, inferior a 120 dias. As indústrias Delta Life e GreyLogix, em parceria com Institutos SENAI de Inovação, já obtiveram a certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A previsão é que ambas produzam de 700 a 1,1 mil equipamentos mensais, que chegarão ao mercado a preços inferiores aos praticados atualmente. Destaca-se também projeto com as empresas Novitech e Whirpool, que amplia a capacidade produtiva de 10 para 100 ventiladores ao mês.


O SENAI mobilizou mais de R$ 482 milhões em ações destinadas a prevenir, diagnosticar e tratar os efeitos do Covid-19. A Rede SENAI de Inovação e Tecnologia contra o Coronavírus foi mobilizada a partir da chamada “Missão contra a Covid-19” do Edital de Inovação para a Indústria. Primeira chamada de fomento a projetos inovadores do Brasil, lançada em 18 de março, investiu R$ 29 milhões no financiamento de 34 projetos com rápida implementação e escala nacional. Os recursos foram aplicados pelo SENAI, pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).


A iniciativa + Prevenção, por sua vez, ajudou empresas nacionais a aumentar sua capacidade produtiva de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). O SENAI mobilizou a sua rede em todo o Brasil, assim como 389 indústrias parceiras, para aumentar a fabricação desses equipamentos, totalizando R$ 445 milhões em doações. Foram produzidos 31 milhões de máscaras cirúrgicas; 20,3 milhões de máscaras de uso comum; 601 mil vestimentas hospitalares, como aventais, capotes e toucas; 501,9 mil unidades de máscaras de acetato do tipo faceshield e 641 mil litros de álcool antisséptico. 


Já a iniciativa + Diagnósticos apoiou a empresa Hi Technologies a aumentar sua capacidade produtiva, de 10 mil testes rápidos por mês, para mais de cem mil diagnósticos por dia. A empresa já produziu mais de um milhão de testes e unidades do Serviço Social da Indústria (SESI) operam mais de 560 mil. O SENAI estrutura ainda uma rede de Biologia Molecular em parceria com o BNDES, no valor de R$ 25 milhões, que vai elevar a oferta de 1,2 mil para 12 mil exames do tipo PCR por dia


A rede de Inovação e de Tecnologia do SENAI


Os Institutos do SENAI contam com pesquisadores qualificados, equipamentos e infraestrutura de vanguarda para desenvolvimento de produtos e processos inovadores, assim como para a oferta de serviços de consultoria e metrologia. Desde que a rede de 27 Institutos SENAI de Inovação foi criada, em 2013, mais de R$ 1 bilhão foi aplicado em 1.086 projetos concluídos ou em execução. A estrutura conta com mais de 700 pesquisadores, sendo que cerca de 44% possuem mestrado ou doutorado.


Atualmente, 15 centros são unidades Embrapii, e têm verba diferenciada para financiamento de projetos estratégicos de pesquisa e inovação. A rede de 60 Institutos SENAI de  Tecnologia possui corpo técnico de cerca de 1,2 mil especialistas e consultores que prestam serviços buscando melhorar a qualidade de produtos e serviços, a produtividade e a competitividade dos negócios.

© 2018 Deputado Federal Vitor Lippi.