JOVENS: Conheçam o programa de aprendizagem 4.0 para formar a futura mão de obra

Mudanças buscam tornar a formação do jovem aprendiz mais digital e inovadora, contribuindo para sua empregabilidade


O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) lançou, nesta terça-feira (15), em parceria com a Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Produtividade (SEPEC) do Ministério da Economia, o Aprendizagem 4.0, programa piloto que busca ofertar a aprendizagem em um formato mais digital e ágil, reunindo competências técnicas requeridas pela Indústria 4.0, e competências socioemocionais, fundamentais para o mundo do trabalho de hoje.


Voltado para jovens de 14 a 24 anos, o programa combina as modalidades de educação a distância (EaD) e presencial. Inicialmente, o programa piloto abrangerá duas áreas tecnológicas: Metalmecânica e Tecnologia da Informação, qualificações consideradas transversais com atuação em diversas áreas de indústria. 


Com o conhecimento adquirido na aprendizagem, o jovem poderá aproveitar a carga horária para dar continuidade a seus estudos no SENAI, ou seguir carreira técnica ou de nível superior. Vale lembrar que o Programa de Aprendizagem não tem custo para o jovem aprendiz. Para a empresa, o único custo é o salário do aprendiz, já que o SENAI apoia no processo de seleção e cuida da formação.


“A participação em cursos de Aprendizagem Industrial do SENAI é o primeiro passo para jovens e adolescentes terem acesso ao primeiro emprego”, explica Rafael Lucchesi, diretor geral do SENAI. “Com este programa, vamos poder entregar para a indústria um aprendiz que agregará mais valor à sua equipe, e que estará atualizado às tendências da indústria 4.0, que poderá concorrer a vagas na empresa”, afirma.

No caso de Metalmecânica, o aprendiz terá acesso às principais inovações tecnológicas dos processos de manufatura avançada, e depois poderá, seguir sua formação, por exemplo, no curso para técnico em Mecânica. 


Já no curso da área  de Tecnologia da Informação, o aprendiz vai aprender a programar, codificar e testar sistemas com uso de inteligência artificial, desenvolvendo competências de integração, automação e conectividade. No futuro, esse aprendiz pode se tornar técnico em Internet das Coisas (IoT), por exemplo. 


“A transformação digital da economia brasileira exige que tenhamos modelos mais atuais e inovadores de formação dos nossos jovens, com conteúdos e metodologias adequadas para o desenvolvimento das competências e habilidades que as empresas buscam nos trabalhadores atualmente”, afirma Fernando de Holanda, secretário de Políticas Públicas para o Emprego do Ministério da Economia.

Indústrias parceiras do SENAI que já tinham interesse neste novo formato de aprendizagem entrarão no programa piloto com 280 vagas. A expectativa do SENAI é de que outras empresas também venham a aderir, chegando a pelo menos mil vagas para aprendizes até o final deste ano.

Empregabilidade na aprendizagem 

Durante os cursos, o aprendiz será acompanhado por um instrutor que assumirá a função de mentor, contextualizando para o mundo do trabalho o que o aluno aprende no curso. Para a experiência profissional, os estudantes assinam um contrato especial de até dois anos com carteira assinada. Dados de 2020 revelam que 6 a cada 10  egressos (ex-alunos) dos cursos de Aprendizagem estavam empregados um anos após a conclusão do curso no SENAI. Essa é a taxa de inserção dos egressos da aprendizagem no mercado de trabalho. A taxa de incremento de renda dos egressos de aprendizagem foi de 80,7%. 

Para o Aprendiz 

Se você tem entre 14 e 24 anos e quer estar mais preparado para concorrer a vagas na indústria, participe do programa e desenvolva habilidades consideradas essenciais pelas empresas, independentemente da sua área de atuação. Acesse o Contrate-me, que é a plataforma de empregos do SENAI, e realize o seu cadastro. Depois, participe da entrevista online para falar sobre si mesmo: gostos e aptidões; sonhos e expectativas; o que pensa sobre sociedade e cidadania; o que faz como lazer e saúde; como são as relações de amizade e de família.

Todas essas informações serão utilizadas para identificar características socioecomionais de candidatos à vagasoferecidas por empresários que pretendem contratar aprendizes neste novo formato oferecido pelo SENAI.


Para as empresas 

O empresário que tiver interesse em fazer do aprendiz a futura mão de obra de sua empresa terá, no futuro, um profissional com preparado para a indústria digitalizada e com as características exigidas (maturidade, trabalho em equipe, resolução de problemas, proatividade). Além da carga horária do curso, serão oferecidas mais 120h específicas para o desenvolvimento de competências da Indústria 4.0. 


Entre em contato com o SENAI mais perto de você para saber como sua empresa pode participar do Programa SENAI de Aprendizagem 4.0.



Fonte> Portal da Indústria

© 2018 Deputado Federal Vitor Lippi.